terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Descubra as diferenças


Excerto do texto 'O elogio da crise', escrito por mim, e publicado no Jornal do Lux:

“Nós, os que nascemos depois do 25 de Abril, nunca tivemos uma causa geracional, metemos nojo aos colunistas que lutaram pela liberdade, somos os doutores e engenheiros que queriam que fôssemos (...) Nós, os filhos da pós revolução, crescemos com televisões a cores, com jogos de computador, com os vídeoclips da MTV a açucarar-nos a vida. Nunca estamos sozinhos – os telemóveis, as sms, o messenger, o facebook. Recebemos o conforto que faltou aos nossos pais (...) Queremos ser intérpretes do aforismo moderno: pensa globalmente, actua localmente.”


Primeiro parágrafo de um artigo, no jornal Público, no suplemento P2:

“Somos a geração pós-revolução. Não estamos no top de preferências dos que lutaram pela liberdade. Não temos ideais, dizem-nos. Somos os doutores que queriam que fôssemos, replicamos. Deram-nos TV a cores e jogos de computador. Nunca estamos sozinhos. Ele é telemóveis, SMS ou Skype. (...) Somos guardiões do lema "pensar global, agir local.”


Há coisas que estão mal. Esta é uma dessas coisas.

7 comentários:

Joao Tordo disse...

uma vergonha. devias processar esse gajo.

Miss Gordon disse...

irreal... hoje em dia qualquer um pode ser jornalista... espero que tenhas escrito uma carta a JMF a elogiar a competência técnica dos seus colaboradores...

Clara disse...

Coitadinho. Não sabe o que há-de escrever tem de ir copiar a quem sabe. Até é uma forma de elogio, não? E são esses otários que ocupam os lugares dos jornalistas.

ulrich disse...

incrível. processo nisso!

joaninha versus escaravelho disse...

Eu acho que o obrigava a comer, literalmente, essa página do jornal. Se precisares de ajuda para lhe enfiar os bocadinhos de papel pela boca, de certeza que arranjarás alguém. :) Conta comigo!

O diabo está nos detalhes disse...

há uma diferença: ele fala em skype e tu em messenger.. :)

se há quem diga que se deve dar a outra face eu, nas questões do plágio digo que devemos é dar umas bengaladas no preguiçoso, para ver se ele aprende.

bf disse...

o texto original ainda por cima é melhor!!!