sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Refém


Porque será que as gravações telefónicas são sempre feitas com vozes femininas - na caixa de mensagens dos telemóveis, no serviço de apoio a clientes do banco ('Para extravio de cartões, marque 5'), na lista de espera da companhia de águas de Cascais que me tem há um dia suspenso, sem água, e sem solução. Eu espero e espero e espero. E de vez em quando, por entre a versão de uma peça clássica irritantemente tocada por uma criança de dois anos, dedo a dedo, tecla a tecla, lá aparece a voz de uma menina a dizer: 'Por favor aguarde'. Eu estou a aguardar há duas horas, tendo tempo até para escrever este texto. E desde ontem, às três da tarde, para que restabeleçam o serviço. Se as gravações são feitas por vozes femininas para acalmarem os clientes frustrados, posso já dizer que não funciona. Sinto-me tão impotente como um dissidente chinês. Estas companhias, que se escondem por trás dos telefones, têm um esquema montado para ignorarem os clientes e as suas queixas. Não te trata apenas de incompetência, trata-se de 'estou-me a cagar para ti; e tu, que precisas da água, aguentas e não bufas'. Parece que me estão a fazer um favor. Cascais, que há anos se esforça para ter a imagem cuidada e limpa da Califórnia, tem hoje a qualidade dos serviços de Cascais em 1712, quando nem sequer havia saneamento básico. O erro desta gente é pensar que a modernidade são apenas rotundas com palmeiras, centros comerciais estilizados, agentes da polícia montados em segways, e meninas a gravar mensagens de paz para clientes mal servidos.

4 comentários:

Gi disse...

Hugo, quando é assim, o melhor é pôr pernas ao caminho; comigo resulta sempre.


PS.: Hoje, se o Hugo não se encontrar pendurado ao telefone, vou conhecê-lo na FNAC ;)

RC disse...

:)

Rita disse...

E foi por andares este tempo todo ao telefone que não me avisaste do blogue?

Filipa disse...

ehehe a voz feminina é o pacifier..
olá! :)